A Circunferência do Quadrado (VI)

quadratura0.jpg

Carlos Andróide: Ora então muito boa noite para a toda a malta da Blogspot, Weblog, Sapo, Clix, WordPress e companhia;
Eu sou o Carlos Andróide, moderador desta tertúlia cavaqueira semanal onde se pretende mandar às malvas o sempre irritante “políticamente correto” e chamar os bois pelos nomes (salvo seja).
Comigo os habituais e ilustres cavaquadores da praxe: Pacheco Mao Mao pelo P.S.D., Jorge Pink Rabbit pelo P.S. e Cabelinho à Foda-se Xavier pelo C.D.S./P.P..
Pontos “quentinhos” da semana, antes do meu merecido gôzo de férias na Trafaria, que isto do guito não dá para mais, tal é a crise.
– A dor de costas de Freitas do Amaral

– Os Estados Gerais na A.R.

E começo por si, Cabelinho à Foda-se Xavier, o que tem a opinar sobre estes dois temas?

Cabelinho à Foda-se Xavier: Ora bem, quanto às dores do meu ex-correlegionário de partido só tenho a dizer uma coisa: Bendita seja a dor que lhe deu, já que o tipo se preparava para meter outra vez a pata na poça com a questão das Arábias, o que, diga-se de passagem, ia dar outra vez caldeirada com a administração americana. Fez muito bem o Sócrates em internar o Freitas no Hospital da Cruz Vermelha e arranjar um outro ministro – este é à maneira – que não tivesse a mania de vir para a cena política com a razão das coisas a imperar sobre os interesses nacionais. Este rapazito que lá está, se estiver quietinho e escutar os chefes da orquestra vai sair-se muito bem. No entanto há que dar os parabéns a Freitas do Amaral por ter saído mudo e quedo do cenário.Então Adeus ó Diogo e diverte-te por aí pá, que tu já não tens vida para isto.

Ponto dois, os Estados Gerais: Ora aquilo correu às mil maravilhas ao Sócrates e ao governo da Rosa. A malta do PSD e do CDS/PP está a gostar à brava do trabalho do Engenheiro Sanitário, ele está a fazer o tal “trabalho sujo” que ninguém gosta de fazer e a arcar, qual Cristo de cruz às costas, com o peso da indignação popular. Quando aquilo começar a dar frutos a malta da oposição é que vai começar a trabalhar, ou seja, a fazer oposição a sério. Disse!

Carlos Andóide: Sim senhor ó Cabelinho à Foda-se Xavier, entendemos perfeitamente. E você ó Pacheco Mao Mao, afina também pelo diapasão do Cabelinho à Foda-se Xavier?

Pacheco Mao Mao: Eu?!… mais ou menos! O Freitas do Amaral já estava metido numa camisa de onze varas há bué de tempo e foi essa camisa de forças que lhe deu cabo do canastro. Antes que viesse aí algum gajo da Mossad e lhe desse um aviamento daqueles de fazer mossa ( mossa=mossad, estão a ver?) que lhe pusesse mesmo os costados num oito, o tipo deu à sola, eh,eh,eh! Agora vai descansar uns tempinhos e volta aí cheio de força para a administração de umas empresas com capital de estado e pronto!, está tudo nos conformes outra vez e nunca mais se mete em política.

Quanto aos estados a que o país chegou, concordo na íntegra com o Cabelinho à Foda-se Xavier; Deixa-os lavar a porcaria com o sabão deles que, quando aquilo estiver mais ou menos lavado nós damos-lhes o amaciador total, eh,eh,eh!

Carlos Andróide: E você ó Jorge Pink Rabbit, o que é que tem a dizer a estes seus amigos de Peniche?

Jorge Pink Rabbit: Tenho a dizer-lhes que bem podem esperar sentados que lhes caia o mel na sopa, pois pode é cair àcido prússico, ou cianídrico que é a mesma coisa, na gamela e ficarem com os gasganetes em brasa. O meu camarada Engenheiro Sanitário Sócrates não é nenhum parolo que se deixa levar no conto do vigésimo premiado ou da vermelhinha; Não começem a ler o manual do Maquiavel e depois digam que tiveram azar, eh,eh,eh! Se o gajo topa que ao chegar às eleições pode correr o risco de as perder, vá de começar a distribuir para aí benesses das grossas ao zé povinho otário, a dizer-lhes que finalmente as vacas estão mais gordas que o Jô Soares e que agora é que vai ser tudo à fartazana, baixas dos impostos, baixas da taxa de juros, dá mais cinquenta paus a cada velhote reformado, aquelas coisas que os labregos adoram… sabem como é! Afinal, sempre foi assim e o povo, essa carneirada que não tem nunca memória, embarca que é uma maravilha. Bem podem vocês da oposição vir depois tentar argumentar a sério que o Engenheiro e a Rosa estar-se-ão positivamente cagando para isso; o povo, com mais cinco tostões na carteira vai a correr votar outra vez no Engenheiro e o resto é conversa, estão a perceber ó seus morcões? Ora aprendam lá que o homem não dura sempre!

Carlos Andróide: E pronto, terminamos por hoje e vamos a banhos. Encontramo-nos cá outra vez, se os Israelitas e o Hezboulla deixarem, no próximo mês de Setembro para mais Circunferências do Quadrado. Até lá!

ancmarujo.gif Fale aí em baixo ou cale-se para sempre

Anúncios

4 Responses to A Circunferência do Quadrado (VI)

  1. augustoM diz:

    Olha António, é lamentável, mas o Jorge Pink Rabbit está certo, infelizmente é o que tem sucedido, e o povo não tem emenda possível, toda a gente sogre de amnésia.
    Um abraço. Augusto

  2. manel diz:

    lol
    Bem esgalhada esta, amigo zeca!
    A rir a rir, se dizem as verdades… não é?

  3. Embarcada diz:

    Boa tarde.

    Tenho sido leitora atenta do seu blog e, é sempre com muito agrado que aqui venho ler os textos que expõe.

    Acompanhei 2 evoluções do seu blog e, esta última considero-a bem conseguida,não obstante ter gostado da anterior.

    Aprecio o seu sentido de humor, pois por vezes a brincar são ditas coisas muito importantes. E essa é uma característica deste blog, descrever situações sérias e pertinentes mas com involucro humorístico.

    Relativamente à mensagem do seu texto, cada vez mais penso que, neste país há unicamente uma coisinha que é emergente fazer-se: não se trata de reduzir os impostos, de baixar as taxas de juro, de blá blá blá. Importa sim, MORALIZAR a CLASSE POLÍTICA!Trata-se de uma questão de moralidade ou falta desta.
    Após esse trabalho feito, o resto virá por acréscimo.Não deverá existir actividade mais desprestigiante nos dias de hoje, do que ser-se político.É que são logo conotados (e na maioria das vezes correctamente conotados) de ladrões, corruptos etc.

    É lamentável quer a letargia dos sectores influentes da nossa sociedade para virar do avesso o marasmo político-financeiro em que se encontra, quer da população em geral, que ‘come’ tudo o que lhe apresentam.
    E o ditado ‘em terra de cegos quem tem olho é rei’ tem toda a aplicabilidade na conjunta do país, e, quase me atrevia a chamar-lhe estrutura ao invés de conjuntura.

    Cumprimentos

  4. wind diz:

    Genial:))))
    beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s