História da Canção de Resistência (4)

Junho 20, 2004

Junho 20, 2004

História da Canção de Resistência

“…Eu hoje venho aqui falar…”
Assim começa uma das cantigas do poeta/compositor/cantor que eu hoje quero
referenciar. Já adivinharam, claro, que estou a falar de SÉRGIO GODINHO.

Sérgio Godinho nasceu em 1945 na cidade do Porto. O seu percurso como
escritor de canções ( como ele gosta que o chamem ) foi este:

1963 – Para evitar cumprir o serviço militar obrigatório e ser enviado para a guerra colonial, parte para o estrangeiro. Começa por viver na Suíça, onde estuda Psicologia, em Genebra, durante dois anos com Jean Piaget, antes de passar para França, onde vive o Maio de 68.

1969 – Actua, durante dois anos, na produção francesa do musical «Hair» onde conhece Shila. Em Paris toma contacto com outros músicos exilados, como Luís Cília e José Mário Branco. Embora já compusesse música, fazia-o em francês, e será o contacto com os seus conterrâneos exilados que o desperta para a língua portuguesa.

1971 – Participa no álbum de estreia a solo de José Mário Branco, Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades, para o qual escreve quatro letras e participa como músico acompanhante. Grava o seu primeiro álbum, em Strawberry Studio do Chateau d’Hérouville, em França, com músicos locais, para a companhia Sassetti, mas a sua edição é adiada para 1972.

Nov. (26) – O seu EP de estreia, Romance de Um Dia na Estrada, é editado pela Sassetti e apresentado à imprensa numa sessão realizada no cinema Roma, em Lisboa, onde é igualmente lançado o álbum de José Mário Branco.

Parte para o Brasil com Shila, e a companhia de teatro Living Theater. É preso e expulso do Brasil. Vai viver para Amsterdão, onde passa seis meses a preparar o novo disco.

1972 – É editado Os Sobreviventes, álbum de estreia, que é muito bem recebido pela crítica e pelo público. O álbum receberá o Prémio da Casa da Imprensa para Melhor Disco Português do Ano, mas é interditado três dias depois da edição, sendo sucessivamente autorizado e novamente proibido.

Regista o seu segundo álbum Pré-Histórias, também gravado em França, e colabora com duas letras para Margem de Certa Maneira, de José Mário Branco.

Out. – Casa-se com Shila, em Montreal.

1973 – Junta-se à companhia de teatro Genesis. Estabelece-se em Vancouver, numa comunidade hippie. Em Portugal, a Sassetti edita Pré-Histórias, do qual se destaca imediatamente um dos grandes hinos da carreira do cantor e compositor, «A Noite Passada». É no Canadá que o 25 de Abril o apanha, regressando a Portugal pouco depois da Revolução.

Finalizo destacando um poema/cantiga deste notável “cantor/resistente”. Como sempre, a dificuldade da escolha foi grande. O seu vasto e rico repertório deixou-me novamente ” à nora”, mas… como tenho que escolher um, recorri ao seu primeiro trabalho em L.P. chamado ” Sobreviventes “, gravado em 1971 e posto a circular em 1972, e que se chama:

QUE FORÇA É ESSA AMIGO?

Vi-te trabalhar o dia inteiro
construir as cidades para os outros
carregar pedras, desperdiçar
muita força por pouco dinheiro

Que força é essa que trazes nos braços
que só te serve para obedecer
que só te manda obedecer?
que força é essa amigo
que te põe de bem com os outros
e de mal contigo?

Não me digas que não me compreendes
quando os dias se tornam azedos
não me digas que nunca sentiste
uma força a crescer-te nos dedos
e uma raiva a nascer-te nos dentes
não me digas que não me compreendes

Anúncios